A gente fica tentando encontrar lá fora, respostas para as perguntas que não querem calar. Respostas para as coisas que nos incomodam ou não fazem sentido, respostas que justifiquem porque pensamos ou agimos de alguma forma, respostas para explicar certas dificuldades que encontramos em nossas vidas.

Enfim, se olharmos atentamente para a nossa vida, é provável que a gente descubra que todos os dias surgem novas perguntas, para as quais nem sempre encontramos respostas!

Eu penso que a melhor coisa é, justamente, não ter respostas para todas as perguntas. Estar em dúvida não é estar em um beco sem saída, mas sim uma grande oportunidade para sair da zona de conforto e procurar as respostas que precisamos.

É a dúvida que nos faz crescer e ser melhores a cada dia. Tanto é que Aristóteles já dizia:

“A dúvida é o princípio da sabedoria.”

O problema não está na dúvida, tampouco na busca pela resposta. Penso que o maior desafio é saber onde procurar a resposta! E esse desafio se torna ainda maior em um mundo pautado pela tecnologia e pela informação do tipo “fast-food”.

Essa facilidade de acesso a todo tipo de informação faz com que a gente encontre rapidamente respostas prontas para as perguntas que temos. E o problema é justamente esse: as respostas prontas nem sempre serão as mais adequadas para as perguntas que você quer fazer.

E mesmo sabendo disso, muita gente se conforma com respostas prontas, que pouco ajudam a gente a entender melhor o que desejamos ou evoluir no assunto que queremos. Respostas prontas geram uma comodidade impressionante, um conformismo para com aquilo que está acontecendo conosco, a ponto de dizer que tal coisa é assim porque assim estava escrito na internet.

Isso faz com que o desafio mude de figura e deixe de ser a busca pela resposta em si, mas sim a busca pelo local em que encontraremos as respostas que precisamos. Em minha opinião, esse local está mais perto de nós do que imaginamos, pois boa parte das respostas encontraremos em nós mesmos.

Então basta perguntar a si mesmo!

Mas, antes que você imagine que isso é loucura, que você precisará se postar diante de um espelho e perguntar para si em voz alta, com a esperança de ouvir uma resposta… Eu devo dizer que perguntar para si mesmo é, acima de tudo, pensar!

Pensar sobre o que está acontecendo. Pensar antes de falar, decidir e agir. Refletir sobre o que passou e as consequências do que fizemos. Não é um exercício difícil, mas requer dedicação e uma boa dose de humildade para vencer a tentação de buscar respostas prontas.

Ao se deparar diante de determinadas situações, pergunte a si mesmo se aquilo já aconteceu antes. Pergunte a si mesmo o que poderia ser feito de forma melhor ou diferente. Da mesma forma, diante de um sucesso, pergunte a si mesmo o que você fez de forma correta ou quem lhe ajudou a conquistar o que conquistou.

Buscar as respostas em si mesmo é um grande exercício de autoconhecimento!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *