No ano de 1948, a Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) lançou a Declaração Universal dos Direitos Humanos. A 2ª. Guerra Mundial havia terminado há pouco e o mundo ainda estava juntando os cacos de toda destruição provocada pela guerra.

As barbáries cometidas durante a guerra motivaram os países-membro da ONU a desenvolver um documento que tinha a finalidade de proibir que direitos fundamentais do ser humano jamais fossem violados novamente.

Mas, que direitos eram esses? A Declaração Universal dos Direitos Humanos tratou de vários temas e, um dos que mais foram destacados, foi o direito à liberdade! Em seu sentido mais amplo, frisou-se a liberdade religiosa, a liberdade de ir e vir e a liberdade de expressão. Em seu artigo 19º, a declaração diz:

“Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão”.

Temos direito à liberdade de expressão. Porém, muitas vezes, nos esquecemos que a liberdade de expressão somente será usada sabiamente se também tivermos liberdade de pensamento. Ou seja, a liberdade de pensamento precede a liberdade de expressão.

Bom, faz sentido pensar que há formas de proibir alguém de se expressar, o que infelizmente ainda acontece muito mundo afora. Mas. neste momento talvez você se pergunte: “como é possível aprisionar o pensamento de alguém?” Eu posso até ser impossibilitado de me expressar, mas como ou o que impede a minha liberdade de pensar?

A resposta está em nós mesmos!

Mas, não como se diz erroneamente no Coaching; a resposta está em nós mesmos porque nós somos a resposta para esta pergunta. Somos nós que aprisionamos nossos próprios pensamentos!

Fazemos isso quando temos preguiça de pensar, de estudar, quando negamos a necessidade de evoluir, quando não ouvimos os conselhos e ensinamentos de pessoas mais experientes ao nosso redor. Enfim, quando fechamos as portas para algo novo e melhor estamos, literalmente, fechando a porta que permite que o nosso pensamento flua!

Por incrível que pareça, em pleno século 21, em meio à chamada Sociedade do Conhecimento, há muitas pessoas que preferem viver na Idade das Trevas. Elas ignoram a importância do estudo e do crescimento para se tornarem livres pensadores.

E eu confesso a você, acredito que nenhum regime autoritário seja mais eficiente do que a falta de vontade de querer aprender e evoluir, para ter novas ideias e pensar de forma diferente e libertadora!

Em nosso próximo texto aqui no Blog, voltaremos a conversar sobre a Liberdade para pensar, pois este é um tema muito interessante para ficar num texto só. Até lá!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.