Você já deve ter ouvido aquela história da águia que ao envelhecer, voa para o alto de uma montanha para passar por um doloroso processo de troca de penas.

A lenda diz que a primeira coisa que a águia faz é arrancar o próprio bico, para que nasça um novo. Com um novo bico, ela arranca suas garras e as suas penas para que também nasçam novos.

Esse processo é dolorido e leva cerca de um ano!

Nesse período, a águia fica exposta e vulnerável, suscetível ao ataque de qualquer predador. Mas, ela precisa passar por isso para conseguir se renovar e viver mais algumas décadas.

Eu acho essa história fantástica. No entanto, ela é falsa!

Pelo menos é o que dizem alguns biólogos e especialistas em zoobotânica… Apesar disso, não dá para contestar que há uma certa beleza por trás desta lenda.

Há ensinamentos que podemos transportar tranquilamente para a nossa vida profissional. Aliás, talvez até seja possível afirmar que essa lenda tenha sido criada, justamente, com o propósito de servir como metáfora para a nossa carreira.

Todo mundo chega a um certo ponto da sua carreira em que se sente estagnado, em dúvidas e até desmotivado. E eu não me refiro a um emprego ou empresa específica em que a pessoa esteja trabalhando. Estou falando de algo mais profundo, que é a nossa carreira ou profissão.

Parece que há uma fase da nossa vida (ou do nosso ciclo de vida profissional) em que nos damos conta que aquilo que há tanto tempo fazemos parece não ter mais sentido. Surge um sentimento de urgência por mudança, melhoria, enfim, de fazer algo ou ser alguém diferente.

Essa é a nossa fase de saturação profissional e eu arrisco a dizer que todos passam por isso. Essa fase não tem a ver com insatisfação profissional ou até com falta de competência ou resultado. E sim, com uma sensação de que é preciso se reinventar e ganhar um novo fôlego para seguir em frente.

É nesse momento que a lenda da águia entra em cena. Na lenda, a águia sabe que precisará trocar o bico, as garras e as penas se quiser viver por mais tempo e continuar sendo competitiva e agindo de acordo com a sua essência.

Na nossa vida profissional a situação é a mesma!

Não importa se somos competentes, temos diplomas e sempre entregamos bons resultados, pois não podemos viver do passado. A nossa história profissional é importante, mas ela não irá garantir o nosso sucesso futuro.

Então, é preciso passar pelo mesmo processo que a águia fez. Precisaremos voltar a estudar, investir no autoconhecimento e na saúde para continuarmos sendo competitivos por muito tempo.

Para muitos, o processo será tão dolorido como é para a águia e, talvez até seja por isso, que muita gente evita essa reinvenção. Só que tem pessoas que irão encarar esse processo como sendo natural, necessário e importante. São essas pessoas que irão se reinventar para continuarem sendo o tipo de profissional que todo tipo de empresa deseja contar.

Tudo o que precisamos saber é se já chegamos na fase da águia e, caso positivo, se estamos dispostos a encarar esse processo de reinvenção!

Participe da discussão

1 comentário

  1. Achei uma história interessante.. realmente precisamos está sempre nos reciclando, empreendendo para ativar o que há de melhor em nós. Eu sou Coach de formação e vivo em constância sintonia com a mudança este mundo tão competitivo.. só que descobrir um dom durante este período de incubação devido a pandemia. Sou evangelizadora da palavra utilizando as ferramentas de Coaching para acelerar a autoestima das pessoas..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.