• 6ª Temporada
  • Temas Relevantes para Carreiras Importantes

  • Nossa missão é compartilhar conteúdos que influenciam positivamente as pessoas. Para isso é fundamental estarmos atualizados e termos à disposição informações e conhecimento que ajudem você. Esse ponto foi determinante para elegermos o tema da 6ª Temporada do Coachitório Online. Nesta nova temporada, traremos notícias, informações e fatos atualizados sobre pessoas, carreira e liderança. E mais do que isso, comentaremos cada assunto com o objetivo de mostrar como as informações abordadas podem alavancar a sua vida pessoal e profissional!

  • Ouça todos os episódios desta temporada!

160 – Diga-me o que postas

Você já deve ter ouvido falar naquele provérbio que nos alerta: “diga-me com quem anda e te direi quem és”. É um provérbio forte e provocativo e eu utilizei parte dele de forma intencional, insinuando que hoje nós somos definidos, em grande parte, por aquilo que postamos nas redes sociais. Não que eu ache que as redes sociais são ruins, elas têm o potencial de alavancar a nossa carreira e de promover uma exposição positiva do nosso trabalho e das nossas competências. Mas, é importante ter muito cuidado ao utilizá-las, pois elas também têm a capacidade de promover negativamente a nossa imagem.

Se você preferir, pode assinar este podcast e ouvir em sua plataforma preferida:

Outros episódios que você pode gostar

Transcrição do episódio "160 – Diga-me o que postas"

Olá, pessoal! Meu nome é Fabiano Goldacker. Sou Coach Executivo da Ponte ao Futuro.

DIGA-ME O QUE VOCÊ POSTA

Deixa eu começar o episódio de hoje com algumas perguntas: 

  • As redes sociais são do bem ou são do mal?
  • Elas mais ajudam ou mais atrapalham? 
  • Trazem mais benefícios ou mais prejuízos ao trabalho?
  • E, o mais importante: dá para viver sem as redes sociais no trabalho?

Você já deve ter ouvido falar naquele provérbio que nos alerta: “diga-me com quem anda e te direi quem és”. Muitos acreditam se tratar de um versículo bíblico, mas apesar de ser um provérbio popular e autoexplicativo, não se trata de uma passagem da Bíblia Sagrada. Mas é um provérbio tão forte que eu utilizei parte dele de forma intencional e provocativa, insinuando que hoje nós somos definidos em grande parte por aquilo que postamos nas redes sociais. 

E assim fica pairando uma questão no ar: quem somos nós nas redes sociais? Será que a pessoa que somos no mundo off-line é a mesma do mundo online? Ou ainda: quem será o verdadeiro eu? Aquele do Tik-Tok ou Instagram ou aquela pessoa de carne e osso que encontramos diariamente no trabalho?

Bilhões de pessoas se conectam às redes sociais e provavelmente todos nós temos contas em mais de uma rede social. Só que a maioria esmagadora das pessoas utiliza as redes sociais apenas para fins pessoais, de entretenimento ou como um passatempo. E parece ser cada vez maior o número de pessoas que utiliza as redes sociais como uma forma de mostrar quem verdadeiramente são ou querem parecer que são.

Mas eu não acho que as redes sociais são uma obra do mal. Como diz o escritor Dan Brown em seu livro “O Símbolo Perdido”, o impacto da ferramenta está nas mãos de quem a utiliza. Quero dizer que as redes sociais têm o potencial de alavancar a nossa carreira e de promover uma exposição positiva do nosso trabalho e das nossas competências, assim como têm a capacidade de promover negativamente a nossa imagem.

As empresas são as que melhor têm utilizado as redes sociais ao seu favor, não só em termos comerciais para divulgação de seus produtos e serviços ou para criar engajamento do seu público-alvo, mas principalmente para mapear e acompanhar o perfil de eventuais novos fornecedores. Além disso, as empresas têm utilizado as redes sociais para dar uma espiadinha básica naquele candidato que está querendo uma oportunidade de trabalho na empresa, a fim de responder aquela perguntinha que eu fiz há pouco: quem é você nas redes sociais?

E sabe por que as empresas desejam saber dessa resposta? Porque sabem que, em muitos casos, as redes sociais acabam revelando quem as pessoas verdadeiramente são. Por ser um território “democrático”, muita gente utiliza as redes sociais para exprimir suas opiniões e comentários a respeito de tudo quanto é tipo de assunto. Até aí, tudo bem! Temos o direito de nos expressar livremente. Mas os problemas começam quando utilizamos as redes sociais para fazer julgamentos, condenar pessoas ou criticar abertamente os outros pelo simples fato de estarem também exercendo o seu direito de exprimir as opiniões. 

Os problemas continuam quando nos envolvemos em questões mais pesadas: quando fazemos bullying, quando ofendemos a integridade de alguém, quando manifestamos atitudes preconceituosas e por aí vai. Pode parecer um tanto óbvio e desnecessário comentar isso, mas tenha a certeza de que essas atitudes são muito prejudiciais para a sua carreira. Aliás, são ruins para a sua vida como um todo. 

Aí tem outro ponto importante: toda empresa tem os seus valores e a sua cultura organizacional. E as empresas que organizam de forma mais cuidadosa as suas políticas de atração e retenção de talentos acabam utilizando as redes sociais para identificar se os candidatos têm aderência aos valores e à cultura da empresa. E se você é daqueles que utiliza o território democrático da internet para falar de tudo e de todos e falar o que pensa, sem filtros, cuidado: é bom sorrir, porque você está sendo observado e aquela oportunidade dos sonhos pode desaparecer antes mesmo de surgir.

Mas não é só quem está no mercado à procura de um emprego que deve ter atenção ao que está postando nas redes sociais. O recado é mais forte para quem está empregado, pois é muito desagradável quando alguém faz uma postagem ou comentário polêmico em suas redes sociais sobre algo que seja inconveniente ou que esteja desalinhado com os valores que a sua empresa defende. Esse desalinhamento pode ser fatal para o seu trabalho e para a sua carreira. Eu comento isso porque estamos vivendo numa era em que as pessoas e as empresas estão dando um valor cada vez maior a questões como propósito, missão, valores, etc. As coisas precisam fazer sentido não só para nós, mas também para as empresas.

Talvez a maioria das pessoas não consiga observar, mas essa mudança tem ocorrido desde o advento e popularização da internet. Até meados dos anos 1990, nossa vida e a nossa carreira eram essencialmente materiais. A noção do trabalho e do sentido do trabalho eram diferentes, pois para a maioria das pessoas estar empregado era somente uma forma de ganhar dinheiro para conseguir dar conta das questões materiais que fazem parte das nossas vidas.

Isso não mudou completamente. Ainda precisamos do trabalho e o trabalho é uma forma de obtermos receita para conseguirmos ter e fazer as coisas. Só que muitas pessoas e empresas já despertaram para uma realidade diferente: as coisas precisam fazer sentido. As empresas precisam fazer sentido para aquela pessoa, pois ela quer dedicar seu tempo e seus conhecimentos para uma causa que valha a pena. O trabalho toma muito tempo da nossa vida e as pessoas querem passar esse tempo em um ambiente que seja positivo, onde exista cooperação, educação, respeito. Enfim, um ambiente onde imperam bons relacionamentos.

As empresas também têm caminhado nessa direção e é por isso que desejam cada vez mais contar com pessoas que estejam alinhadas ao seu propósito, pois essa é a melhor forma de garantir um ambiente harmônico e bons relacionamentos. É claro que o motivo principal tem a ver com a manutenção da eficiência, produtividade e resultado. Mas não há nada de errado nisso. Aliás, muito pelo contrário: é uma questão essencial à sobrevivência das empresas. Só que as empresas sabem que irão conquistar esse resultado na medida que estiverem com pessoas alinhadas com o seu propósito.

Entramos novamente na questão das redes sociais, porque nós somos o que postamos. Temos que ter muito cuidado ao usarmos as redes sociais, porque palavras podem ferir as pessoas tanto quanto uma flecha. E podem ferir também quem as atirou. Com base nisso, tenho algumas dicas para utilizar as redes sociais com mais cuidado. Essas dicas são de um blog, cujo link vamos deixar na descrição deste episódio:

  1. Não se exponha demais nas redes sociais: isso tem a ver com a sua carreira, mas também com a integridade da sua família;
  2. Use as redes sociais para construir uma boa imagem pessoal: atualmente se dá muito valor ao Personal Branding, que é a marca pessoal, a imagem que construímos constantemente por meio de nossas palavras, comportamentos e atitudes;
  3. Tenha uma rede de contatos de qualidade, que sirvam como networking;
  4. Não acredite em tudo o que lê;
  5. Não compartilhe informações antes de confirmar a veracidade do que vai compartilhar.

Lembre-se sempre que determinadas postagens nas redes sociais podem ser um caminho sem volta, pois uma vez que entramos nas redes sociais, estaremos sempre sendo monitorados.

Fala, galera do Coachitório Online.

Por duas vezes nesse texto eu comentei que a internet é um território democrático, mas eu confesso que para mim às vezes lembra um território não de democracia, mas sim de anarquia, digno daqueles filmes pós-apocalípticos do tipo “Mad-Max – Estrada da Fúria”, onde tudo vale, tudo pode.

Alguns perfis de redes sociais às vezes também lembram aquelas máscaras do teatro grego, que eram utilizadas para permitir que o ator assumisse qualquer papel e fosse qualquer pessoa, pois estava escondido por trás de uma máscara que lhe dava o direito de ser quem ele desejasse ser. Ok, talvez eu tenha forçado a barra em comparar as redes sociais com anarquia e com o teatro grego, mas, como em toda boa rede social, essa é só a minha opinião a respeito.

Mas o mais importante é saber o que você acha. Deixe a sua mensagem em nossas redes sociais ou escreva para fabiano@ponteaofuturo.com.br Ficarei muito feliz com a sua mensagem.

Esse é o Coachitório Online. Obrigado a você que sempre acompanha os episódios do nosso podcast sobre pessoas, carreira e liderança. E por isso eu tenho um pedido: escolha um episódio para compartilhar com seus amigos nas suas redes sociais e lembre-se também de apertar o botão para seguir o nosso podcast, pois assim a gente aumenta o número de pessoas que acompanha o Coachitório Online. Para você que está chegando agora, seja bem-vindo. Temos vários episódios para você ouvir e curtir, feitos com muito carinho para você!

Também quero te convidar a conhecer a Jornada! É um processo que nós desenvolvemos para promover o seu crescimento pessoal e profissional por meio da metodologia e das ferramentas do Coaching. Tudo isso online! E o melhor de tudo: todo esse processo será conduzido pelo melhor Coach que você já conheceu: você! Conheça a Jornada e seja Coach de si mesmo! Para ter mais informações sobre a Jornada, é só clicar no link deste post.

Encontro você no próximo episódio! Um abraço!