Embora não exista uma tradução para a língua portuguesa que consiga expressar de forma muito clara o que é o Coaching, os vários artigos, textos e livros escritos sobre o tema dão uma noção bem clara de que o Coaching tem a ver com um processo de aperfeiçoamento, de desenvolvimento pessoal e profissional.

 

Muitos textos também deixam claro que o Coaching tem, em sua origem, uma associação direta com o esporte. O próprio vocábulo “Coach” representa, em inglês, a figura do treinador, da pessoa responsável pelo desenvolvimento de uma pessoa e de uma equipe. Por conta disto é que atualmente chamamos de Coach o profissional responsável pela aplicação de metodologias de desenvolvimento que levam ao crescimento pessoal e profissional. Tanto no meio esportivo quanto no meio executivo.

 

No esporte, o Coach (o treinador) pode trabalhar com equipes ou atletas individuais. Claro que o enfoque, a estratégia, a metodologia e a própria carga do treinamento dependerá de muitas variáveis, como, por exemplo, os pontos de melhoria dos atletas, os objetivos da competição e, inclusive, a própria disponibilidade do atleta em receber determinada carga de treinamento.

 

O mesmo acontece com o Coaching Executivo, ou Coaching de Carreira. Embora a metodologia de trabalho seja a mesma, o Coaching tem sucesso quando se trabalha tanto em forma individual quanto em grupos. Naturalmente, quando se trabalha de forma individual, a intensidade do processo é maior porque o foco estará todo direcionado aos objetivos daquela pessoa. O Coaching em grupo também pode prover essa intensidade ou profundidade nos temas a serem trabalhados com cada cliente, de uma forma diferente: por meio da interação com os demais participantes do grupo.

 

Essa interação é muito importante para o desenvolvimento do processo porque à medida que cada pessoa se manifesta no grupo, comentando sobre seus objetivos, seus desafios e suas ações, acaba inspirando também as demais pessoas. Isso acontece por um motivo muito simples: às vezes um determinado ponto forte ou realização de uma pessoa do grupo pode representar justamente o ponto de melhoria ou o grande desafio de outra. E o fato desta pessoa encontrar no grupo alguém que eventualmente soube lidar com esses desafios acaba inspirando e mostrando que é possível que os demais também realizem seus objetivos.

 

Cabe ao Coach, então, canalizar e mediar essas contribuições a fim de que por meio da metodologia do Coaching seja possível que cada pessoa transforme essa troca de experiências em estratégias e ações que a levarão a conquistar seus objetivos.

 

Outra riqueza do processo de Coaching em grupo é a socialização e o networking que surge entre os participantes, que pode resultar, inclusive, em projetos e ações em conjunto cujos desdobramentos são infinitos e tendem a ser muito proveitosos por conta da empatia que é formada durante o processo, durante todas as conversas e trocas que há entre as pessoas.

 

Troca de experiências, compartilhamentos, sinergia e empatia são verdadeiras molas propulsoras para as nossas ações. Mostram também que apesar dos desafios e da caminhada ter que ser feita por cada um, não estamos sozinhos na jornada. O Coaching em grupo é uma forma compartilhar essa caminhada.

 

 

Se interessou? Em parceria com a IsCool, lançamos o The Path – Um programa de Coaching em Grupo em Inglês!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.