Confesso que muitas vezes via com desconfiança a realização de processos de Coaching de forma não presencial. Sempre pensei que processos de Coaching somente funcionariam quando Coach e Coachee estivessem sentados frente à frente.

Esse pensamento prevaleceu até quando eu tive a oportunidade de realizar o primeiro processo de Coaching a distância. Naquela ocasião, via Skype.

Percebi então que mesmo estando fisicamente distante da pessoa que estava fazendo o processo de Coaching comigo, estávamos frente à frente. Graças à tecnologia!

E é essa tecnologia que tem trazido cada vez mais ferramentas que possibilitam que vários tipos de trabalho sejam feitos de forma remota ou mesmo via home office. No caso do Coaching a distância, tudo o que precisamos é de um meio e de uma ferramenta. O meio será a internet.

É por meio desta conexão que conseguimos utilizar algumas ferramentas que estão amplamente disponíveis e são de fácil acesso para todas as pessoas: Skype, Hangout, Messenger e Whatsapp.

Ferramentas que permitem a realização de videoconferências e o compartilhamento de áudio, vídeo e arquivos diversos irão auxiliar de forma cada vez melhor a realização de processos de Coaching a distância.

No entanto, para que o processo a distância seja viável é fundamental observarmos algumas questões básicas:

  • ter uma boa conexão com a internet: conexões ruins com a internet causam atrasos ou interrupções na conversa e no contato visual com o cliente. Isso acaba prejudicando em muito o processo, pois torna difícil a manutenção do rapport, que é o estado de foco e concentração do Coach e do Coachee e que fazem com que a sessão de Coaching seja produtiva;
  • ter um ambiente “seguro”: assim como num processo presencial, é fundamental que no processo a distância o Coach e o Coachee estejam em ambientes em que se sintam bem e que permitam uma boa conexão (com a internet e com a outra pessoa…);
  • evitar distrações: da mesma forma, assim como no processo de Coaching presencial é necessário que fatores que podem causar distração – celulares, computadores ou outras pessoas – sejam evitados, pois do contrário o foco e a atenção necessários ao bom andamento da sessão serão prejudicados.

Com exceção da questão ligada à conexão da internet, vejam que os demais fatores são necessários para todos os processos de Coaching, tanto presencial quanto a distância. Isso faz com que sejam eliminados os fatores que fazem com que as pessoas não acreditem nos processos a distância.

E o primeiro passo é fazer com que essa crença limitante seja vista de outra forma e para isso sugiro sempre que as pessoas se permitam a ter uma conversa prévia com o Coach, via internet, para constatar o quanto pode ser produtivo um processo de Coaching realizado a distância.

Naturalmente, o processo presencial sempre será melhor, pois quando estamos fisicamente próximos do cliente é possível interagir de forma mais natural e assertiva.

No entanto, essa interação também é possível no Coaching a distância quando o Coach e o Coachee se empenharem neste sentido.

Assim, tendo em vista a questão do tempo que dedicamos ao deslocamento para as sessões é preferível e até indicado que processos sejam realizados a distância. E o melhor de tudo é que a tecnologia permite que as pessoas que desejarem realizar processos de Coaching poderão fazê-lo com qualquer profissional, de qualquer lugar.

E, depois de ter realizado processos de Coaching com pessoas de outros estados e até do exterior, vejo o quanto o Coaching a distância será cada vez mais utilizado pelas pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.