Existem realmente diferenças entre chefe e líder? Há diferenças entre chefiar uma equipe e liderar uma equipe ou será que chefiar e liderar são apenas os dois lados de uma moeda?

Os modelos de gestão organizacional têm evoluído muito e têm colocado diante dos gestores uma necessidade irrecusável, que é a de exercermos o papel de verdadeiros líderes para as nossas equipes.

Essa demanda é verdadeira e faz muito sentido. É cada vez mais importante desenvolvermos o perfil de líder, pois está cada vez mais claro que é somente por meio de pessoas engajadas, comprometidas e com um grande senso de pertencimento que as empresas conseguirão aprender, evoluir e prosperar num mercado cada vez mais complexo.

A necessidade de verdadeiros líderes nas organizações também se justifica porque a condução de equipes por meio da autoridade, da chefia e do comando direto tem se mostrado cada vez mais ineficaz. Como dizemos por aí: o negócio não é chefiar, e sim liderar.

No entanto, quero chamar atenção para alguns pontos:

  • A maioria das pessoas que ocupa cargos de gestão dentro das organizações ainda exerce seu papel por meio da “chefia” e não da liderança;
  • Estas organizações prosperaram e têm prosperado, mesmo em tempo de dificuldades;

E, por último, mas não menos importante;

  • Acredito que nossos conceitos de chefia e liderança podem estar equivocados.

Há algum tempo tenho visto que estamos colocando o chefe e o líder em posições antagônicas, como se o líder fosse o “policial bom” e o chefe o “policial ruim”.

Estamos colocando estes dois perfis em posições tão distantes, separadas e diferentes entre si que acabamos demonizando o ato de chefiar.

Acabamos categorizando todos os defeitos de um gestor e dando a esses defeitos o nome de “chefe”, enquanto que o lado iluminado do gestor recebe o nome de “líder”.

Para mim, como disse no começo deste texto, são os dois lados da mesma moeda. Em outras palavras, ambos os perfis são fundamentais para o sucesso na gestão das equipes.

Naturalmente, há pessoas que têm em sua essência somente as características claramente relacionadas ao chefe, enquanto que há pessoas que têm em sua essência somente as características do líder.

Só que o sucesso de uma equipe – entendendo que sucesso é o alcance de resultados por meio de pessoas engajadas num bom ambiente organizacional – depende da atuação do chefe e do líder.

Por quê?

Porque algumas pessoas respondem melhor ao perfil do líder; algumas pessoas produzem mais e melhor quando sua equipe é coordenada por um líder; sentem-se mais motivadas e engajadas quando veem que sua equipe está sendo liderada.

No entanto, algumas pessoas respondem melhor ao chefe. Por incrível que pareça, há pessoas que precisam ser movidas pela cobrança; há pessoas que respondem melhor quando estão sob pressão. E, infelizmente, há pessoas que somente funcionam quando há um comando claro, direto e firme.

Entendo que talvez seja difícil concordar com isto, muito embora a realidade do dia a dia acaba nos mostrando exemplos disso.

Mas, nem tanto ao mar e nem tanto à terra, pois os extremos de cada perfil provavelmente não serão positivos para a equipe. A questão principal, portanto, é o equilíbrio. É saber quando e como usar as características úteis de cada perfil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.