Quando precisamos consertar uma máquina, utilizamos ferramentas apropriadas para esse fim. Só que comprar ferramentas é fácil. O difícil é saber utilizá-las.

E se não temos as ferramentas e o conhecimento necessários, vamos buscar quem tenha. Ou seja, algumas atividades precisam ser feitas por pessoas com capacidade técnica para tal. Então, o grande desafio passa a ser atrair e reter as pessoas capacitadas para fazer o que precisa ser feito, dentro das empresas!

Estas pessoas precisam ser estimuladas para gerarem cada vez melhores resultados e, às empresas, cabe a responsabilidade de providenciar os recursos necessários para que isso aconteça.

À medida que as empresas desenvolvem suas pessoas, resultados melhores acontecem e as empresas podem investir novamente no desenvolvimento das pessoas. Assim se observa o surgimento de um ciclo que se retroalimenta continuamente. Quando essa dinâmica acontece nas empresas, algo muito bom acontece: você atrairá pessoas mais talentosas que você!

Isso não é um problema, tampouco uma ameaça. Muito pelo contrário: talvez seja uma das maiores evidências de sucesso da gestão de pessoas nas organizações. Pois, conforme as pessoas que você atraiu e desenvolveu em sua organização se tornarem mais talentosas do que você e, apresentarem um melhor desempenho, os resultados certamente serão melhores!

Mas, essa também não é uma ideia nova. Um dos maiores empresários da História, o americano Andrew Carnegie, pediu para colocar em seu epitáfio uma frase que norteou toda a sua vida profissional: “Aqui jaz um homem que era capaz de atrair pessoas melhores que ele próprio para trabalhar.”

Vale salientar que, em sua época (no início do século 20), Carnegie era o homem mais rico do mundo. Ele pensava e agia assim, o que nos leva a crer que deve haver muita verdade na frase que ele eternizou.

No entanto, às vezes parece que alguns gestores têm medo de atrair e reter pessoas que podem ser mais produtivos e ter entregas melhores do que ele. Essa atitude reflete vários comportamentos que são incongruentes com um cargo de liderança: insegurança, centralização, baixa autoestima e talvez até inveja.

Vale lembrar que: a sua ascensão profissional está diretamente atrelada a sua capacidade de preparar pessoas que estejam aptas a lhe substituir, no momento certo.

E a ação de preparar alguém para lhe substituir é uma verdadeira declaração ao Universo de que você está pronto para desafios maiores. Ao abrir estas possibilidades, você atrairá pessoas mais talentosas do que você e será seu o mérito por isso ter acontecido!

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *