Creio que nunca se falou tanto em liderança organizacional. Qual o tipo ideal de líder? Que estilos de liderança devem predominar? Liderança é algo que conseguimos desenvolver ou é algo “nato”, que já nasce com a pessoa?

Essas e outras perguntas acabam se tornando temas para inúmeros artigos e pesquisas, todas elas contribuindo positivamente para esta discussão.

Peter Drucker comentou que a liderança do século XXI deveria dominar questões importantes como a capacidade de dar e receber feedbacks, ter boa comunicação, saber delegar e gerir conflitos.

É inegável que essas são características importantes que, de certa forma, podem ser desenvolvidas por qualquer pessoa.

A liderança também tem suas características próprias. Particularmente, penso que a liderança tem quatro características fundamentais que fazem parte do exercício de todos os líderes:

  • Evolutiva: algumas habilidades de liderança podem ser desenvolvidas. O líder é, sem dúvida, alguém que aprende e que evolui no seu estilo de liderança à medida que se torna mais experiente;
  • Atemporal: liderança é algo que sempre existiu e sempre existirá. Por mais rudimentar que sejam os grupos e as próprias organizações, a liderança sempre existirá;
  • Onipresente: em todos os grupos organizados haverá o papel do líder. Aliás, o conceito de grupo faz mais sentido quando surge a figura do líder;
  • Situacional: o estilo da liderança vai depender do momento, do contexto em que o grupo se encontrar. Cada situação vai fazer com que o líder coloque em campo os comportamentos e habilidades que fazem mais sentido para o momento.

Mas, a liderança também é uma questão de estilo, de perfil comportamental. O perfil é algo que faz parte da essência de cada pessoa.  Todos nós temos características comportamentais que explicam em grande parte o estilo de atuação do líder.

Dentre as inúmeras formas de expressar essas características, a consultoria Hay Group elencou algumas características que explicam nosso estilo de liderança:

  • Coercitivo: são mais vigilantes e críticas, podendo ser demasiadamente duros e ácidos em suas críticas;
  • Dirigente: baseia sua liderança em diálogo e comunicação, focando sempre no longo prazo;
  • Afetivo: dá mais atenção às pessoas do que às tarefas;
  • Democrático: divide responsabilidades e méritos e compartilha decisões;
  • Modelador: é exigente e dá instruções detalhadas sobre o trabalho;
  • Treinador: busca resultados por meio do desenvolvimento de sua equipe.

Mais importante do que conhecer a essência de cada perfil, é ter resiliência e a capacidade para adotar diferentes estilos de liderança, conforme o momento exigir.

Em outras palavras, o exercício da liderança faz com que tenhamos a necessidade de desenvolver cada uma destas características e a habilidade de adotá-las no momento certo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.