Quase todas as pessoas que iniciam um processo de Coaching começam com uma empolgação característica de quem vai iniciar um projeto que pode mudar a sua vida. E para garantir que esta empolgação seja utilizada como uma mola propulsora para alavancar os resultados desejados pelo Coachee, é fundamental que antes do início do processo a gente realize uma conversa inicial, chamada de Coaching Education.

O Coaching Education é uma reunião de alinhamento, na qual o cliente expõe para o Coach as suas expectativas e objetivos para com o seu processo. Da mesma forma, é nessa conversa que o Coach esclarece pontos importantes sobre a metodologia e o funcionamento do processo. Além disso, é também nessa conversa que são abordadas algumas questões que, se ignoradas, podem comprometer o sucesso do processo de Coaching.

São pontos que podem se fazer presentes em várias pessoas antes de iniciar um processo de Coaching. A diferença é que, na maioria das vezes, esses fatores se manifestam de forma inconsciente. Ou seja, eles estão lá, mas a gente não se dá conta que eles existem ou não dá a devida importância a eles:

  • Dificuldade para se abrir: o processo de Coaching fará diferença na vida das pessoas na medida em que ela se abrir e deixar que os novos comportamentos e atitudes estimulados pelo processo sejam incorporados na vida da pessoa;
  • Dificuldade para sair da zona de conforto: a questão principal é dar um novo significado ao termo “zona de conforto”, pois quando a pessoa sente a necessidade de realizar alguma mudança em sua vida e começa um processo de Coaching, já está saindo da zona de conforto;
  • O processo dá muito trabalho: uma das preocupações das pessoas é com a quantidade de trabalho que um processo de Coaching pode trazer. De fato, o Coaching dá muito trabalho. Mas não se trata do trabalho operacional, aquele que a gente realiza no dia a dia da nossa vida profissional, e sim do trabalho que precisamos fazer em nós mesmos ao trabalharmos em nossos pontos de melhoria;
  • Mandaram eu fazer o processo: essa é uma situação mais comum em processos de Coaching contratados por empresas para profissionais da organização. Já presenciei casos em que a pessoa afirmou que a sua principal motivação para realizar o processo de Coaching era porque a empresa (ou o chefe) contratou e mandou fazer. Nem é preciso dizer o quanto isso compromete o processo…

É importante ressaltar que esses motivos não devem inibir a realização do processo de Coaching. Muito pelo contrário: ter consciência destes pontos talvez seja a peça que faltava para várias mudanças importantes na vida do Coachee, até porque o que ocorre num campo da nossa vida provavelmente se repete em outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.