As técnicas e habilidades que moldaram os líderes do século 20 precisam ser revistas por conta das rápidas mudanças que têm ocorrido nas relações organizacionais.

As pessoas e as empresas precisam se reinventar continuamente e essa reinvenção passa inevitavelmente pela revisão da forma de agir e pensar sobre assuntos como liderança e gestão de pessoas.

Mas quais são os maiores desafios para a liderança do século 21? Num sentido mais amplo, o líder deve continuamente fazer com que o trabalho de cada pessoa lhes faça sentido para que elas encontrem propósito no que fazem, pois é assim que se desenvolve uma equipe de alto desempenho.

Levando para a prática, o líder consegue esse engajamento à medida que souber lidar bem com os fatores que representam o grande calcanhar de Aquiles para a maioria dos líderes: gestão de conflitos, comunicação com a equipe, delegação e feedback.

A gestão de conflitos é necessária quando surgem divergências que bloqueiam a visão comum dos objetivos que as partes envolvidas têm. É necessário que esses objetivos comuns fiquem claros e que cada parte saiba como contribuir para o seu alcance.

A comunicação é um problema crônico, sobretudo nos dias atuais, nos quais todos têm o que falar mas muitos aparentemente têm pouca disposição para ouvir, ignorando assim uma das necessidades essenciais do ser humano: ser ouvido.

Já a delegação deixa de ocorrer por três fatores principais: a falta de pessoas para quem delegar, a falta de pessoas preparadas para tal e a falta de confiança do líder nas pessoas para quem determinadas atividades poderiam ser delegadas.

Essa dificuldade forma um gargalo organizacional gigantesco pois a centralização excessiva impede o desenvolvimento de outras pessoas da equipe e fazem com que tudo tenha que passar pelo líder.

Outro grande desafio para o líder do século 21 é o feedback. Trata-se de uma poderosa ferramenta para o desenvolvimento humano, mas que tem sido deixada muito de lado por nos sentirmos inseguros em dar e receber feedbacks.

Nota-se, portanto, que o líder do século 21 precisa desenvolver um novo conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que venham a deixá-lo preparado para lidar com esses desafios.

Notem também que esses quatro grandes desafios não dizem respeito às questões técnicas da liderança, ou seja, não dizem respeito ao seu trabalho propriamente dito.

Dizem respeito a fatores comportamentais e, por conta disto, penso ser possível afirmar que a liderança do século 21 deverá estar dotada do saber (conhecimento), do saber fazer (habilidades) e do querer fazer (atitudes) e, principalmente, do saber ser (comportamento).

O líder de destaque no século 21 será aquele que perceber que há um limite para o alcance de resultados somente por meio dos fatores técnicos inerentes a sua função.

Será aquele que perceber que para superar esse desempenho é preciso lidar com as questões comportamentais e de relacionamento interpessoal do grupo.

Será aquele que desenvolver a capacidade de lidar bem com os quatro grandes desafios para a liderança deste novo século, aqui apresentados. Pois é desta forma que os resultados conquistados tendem a ser muito mais sustentáveis.

A questão principal é: quem está disposto a sair na frente, desenvolvendo-se profissionalmente para dar conta destes desafios?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.