Acontece com bastante frequência. Lá estava você, fazendo bem o seu trabalho, com expectativas de crescimento na empresa, muito embora parecia não haver nada no horizonte que lhe dissesse que logo você seria promovido. Até que, num belo dia, algo aconteceu! Surge a oportunidade e você é convidado para assumir um cargo de liderança; você decide aceitar e só depois se dá conta de tudo o que vem pela frente.

Ok, eu entendo, por mais que a situação seja mais ou menos assim, não é tão romântico ou fácil quanto parece.

Geralmente, as oportunidades surgem porque alguém perdeu o emprego ou pediu a demissão. Aquela cadeira ficou vazia porque a pessoa que a ocupava não está mais lá. Claro que também há casos em que um novo posto de liderança é criado e você é a pessoa mais indicada para a função. E nem sempre é um convite… Às vezes, você é “convocado” a assumir aquele cargo de liderança.

Não tem problema, pois aquilo que a gente deseja, nem sempre vem embalado em pacote de presente ou acompanhado de uma solenidade. Em muitos casos, os presentes vêm disfarçados.

É o que eu sempre digo para as pessoas que falam para mim: “- Virei líder! E agora?”. Muito embora a pessoa desejasse aquilo e tenha todas as condições para assumir o cargo, de repente ela se vê sem saber o que fazer. Nesses casos, é comum observar que a preocupação tem a ver com um ponto principal: como fazer a gestão das pessoas da minha equipe?

Começamos a pensar que fomos promovidos porque costumávamos desempenhar bem o nosso papel operacional. Somos bons técnicos. Só que, do dia para a noite, precisamos nos tornar exímios gestores de pessoas. Isso é verdade, mas somente em partes. Quando uma pessoa pergunta para mim o que fazer, ela geralmente emenda outros dois comentários: “- Não sei o que viram em mim para me darem um cargo de liderança” e “- Não estou pronto”.

Bom, em primeiro lugar, eu acredito que, se você foi convidado para ser promovido, é porque há méritos. Não é somente pelo seu conhecimento técnico, mas também com o seu comprometimento e com a sua dedicação. Tem a ver com o que você está disposto a aprender, muito mais do que aquilo que você já aprendeu.

Isso nos leva para o outro comentário. Certamente você não está pronto para ser líder. O que importa é o quanto você deseja ficar pronto, tornar-se líder. O que importa é o quanto você estará disposto a encarar o desafio e aprender tudo o que for necessário para se tornar um bom líder.

Lembre-se, estamos sempre aprendendo e, raríssimas, são as pessoas que estão “prontas” para um cargo de liderança!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.