O mês de outubro é rosa! É dedicado às ações que têm como objetivo conscientizar e prevenir as mulheres sobre o câncer de mama. Esse movimento mundial, iniciado nos EUA, tem sido adotado de uma forma cada vez mais intensa pela população do nosso país.

É claro que a campanha do Outubro Rosa nos chama atenção para algo que deve se fazer presente o ano todo: os cuidados com a saúde da mulher, pois no que diz respeito à vida e à saúde, todo dia é dia de atenção e prevenção.

Mas, quero usar a campanha do Outubro Rosa para falar sobre outro fato que tem chamado cada vez mais a minha atenção: a dedicação das mulheres para a sua formação, qualificação e crescimento profissional!

Muitos de vocês sabem que eu sou professor de cursos de pós-graduação na área da Administração, sobretudo, nas disciplinas ligadas à Gestão de Pessoas. Recentemente, tive a oportunidade de lecionar para uma turma que estava iniciando o curso, numa pós-graduação ligada à Consultoria e Coaching. Havia 22 alunos na turma e, vejam só, 19 eram mulheres.

Confesso que esse número não me surpreendeu tanto, pois lembro da época em que eu ainda lecionava na graduação em Administração, e as turmas já eram compostas, em sua maioria, por mulheres. Nas formaturas do curso de Administração em que eu compareço, a fim de representar o Conselho Regional de Administração de Santa Catarina (CRA-SC), a maioria das pessoas que colam grau são mulheres. Creio que isso acontece em outros cursos também.

Isso mostra o destaque cada vez maior que as mulheres estão obtendo no campo profissional, fruto do investimento que muitas delas têm feito em seus conhecimentos e competências, para se capacitarem cada vez mais. E é justamente esse fato para o qual gostaria de chamar a atenção, pois o crescente investimento em conhecimento aliado à vida profissional, familiar e social, permite que as mulheres desenvolvam o que se chama de “capacidades cumulativas”.

Essa teoria diz que quanto mais habilidades desenvolvemos, mais facilmente outras poderão ser desenvolvidas, ou seja, uma determinada competência auxilia na aquisição e desenvolvimento de outra. Quando essas habilidades são combinadas e colocadas em prática no meio profissional, por exemplo, tornam a mulher uma profissional muito mais competente e competitiva.

Hoje, as organizações estão rosas, repletas de mulheres que sabem o que querem e são extremamente profissionais para alcançar resultados. Que querem bater metas, promovidas, receber salários equivalentes e, principalmente, reconhecidas pelo seu desempenho no mundo corporativo!

Tomo a liberdade de usar o Outubro Rosa e chamar a atenção para o propósito inicial do movimento, que deve prevalecer: mostrar a importância que a conscientização e a prevenção ao câncer de mama tem para as mulheres. Mas, também usar esse gancho para chamar a atenção de que, no campo profissional, não é só o mês de Outubro que é Rosa, todos eles o são!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.