Eis que depois de tanto tempo de procura é chegada a hora da entrevista para aquela vaga que há tanto tempo temos trabalhado! A gente se prepara para a entrevista, imaginando quais são as perguntas que devemos fazer (e as respostas que devem ser dadas, claro!). Até imaginamos a ansiedade da pessoa com quem a gente vai conversar…

Só que muita gente, ao ler o parágrafo acima, pensa que estamos falando somente do candidato ao emprego – a pessoa que vai ser entrevistada. Só que não… Estamos falando da pessoa que vai ser entrevistada e, principalmente, de quem vai entrevistar.

O Brasil tem atualmente cerca de 14 milhões de desempregados. Mas muitas empresas também sofrem porque não encontram pessoas preparadas e qualificadas para determinadas vagas. Diante disto, fica uma pergunta: na hora da entrevista, quem está numa posição mais delicada? O entrevistado ou o entrevistador?

Costumo dizer que hoje em dia é a pessoa que vai entrevistar que está numa posição mais desafiadora, por um motivo muito simples: o resultado de uma empresa começa a ser construído nos processos de recrutamento e seleção.

Digo isto porque processos de recrutamento e seleção mal feitos irão apenas preencher vagas, mas não irão trazer pessoas mais adequadas para as funções que a empresa precisa. E assim a empresa perderá tempo e dinheiro.

E as áreas de RH irão ter sempre a sensação de que estão numa espécie de atoleiro porque não dão conta de suprir a demanda que surge por conta da elevada rotatividade na empresa.

De quem é a responsabilidade? Do líder, que não deixou claro o perfil desejado ou não soube aproveitar bem o potencial da pessoa contratada? Do RH, que se preocupou apenas em preencher a vaga? Da pessoa entrevistada, que disse que sabia fazer várias coisas, mas não consegue entregar o que prometeu? Da empresa, que faz pressão pelo preenchimento do quadro de pessoal ao menor custo possível?

Todos têm responsabilidades. Mas, eu acredito que a parte mais delicada é a do processo de seleção e entrevista de emprego. É comum ver entrevistadores que conhecem pouco do negócio da empresa; é comum ver pessoas que vão fazer uma entrevista de emprego sem preparo e planejamento algum, que acabam fazendo sempre as mesmas perguntas como se as pessoas entrevistadas fossem todas iguais; é comum vermos pessoas sendo contratadas somente pelo seu currículo, mas sendo desligadas por conta de seus comportamentos e atitudes.

Em minha opinião, a entrevista de emprego é uma etapa muito séria, pois é este o primeiro encontro que o entrevistado tem com a empresa e é a partir deste encontro que o entrevistado começará a avaliar a empresa em que pretende trabalhar. Além disso, é importante lembrar que não é só a empresa que contrata a pessoa. As pessoas também estão contratando as empresas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.