Eu estava lendo antigas postagens do nosso blog e aí me deparei com um texto que foi publicado há cerca de dois anos, no início de 2019.

Para mim, o texto fez muito sentido naquela época, pois 2018 tinha sido um ano daqueles. Talvez você não se lembre, mas em 2018 o nosso país atravessava uma crise importante que fez com que o ano tivesse sido muito difícil para muita gente. Para mim, inclusive.

Quero até compartilhar com você uma situação que aconteceu comigo, no final do ano passado:

Em uma das últimas aulas que eu estava lecionando na pós-graduação, falávamos sobre a pandemia. O Covid-19 e toda a crise mundial que se estabeleceu quando, de repente, começamos a falar do ano de 2018 e o quanto ele havia sido difícil.

O mais interessante é que poucos se lembravam dos motivos que fizeram com que aquele ano tivesse sido daquele jeito. E aí começamos a lembrar: foi ano de Copa do Mundo, foi ano de eleições presidenciais, foi ano de greve dos caminhoneiros, etc.

Você se lembrava de tudo isso?

É claro que não há como comparar os impactos da crise de 2018 com o que aconteceu em 2020. Mas, faço esse relato pois eu tomo a liberdade de replicar, na sequência, o texto que eu escrevi para o blog da Ponte ao Futuro, lá no começo de 2019. Dê uma olhadinha:

Sejam bem-vindos! Eu gostaria de me apresentar a vocês! Sou o ano de 2019, mas também podem me chamar de ano-novo!

Fiquei sabendo que vocês estavam falando muito sobre mim. Estavam aguardando ansiosamente a minha chegada… Fico feliz por isso! Inclusive, devo confessar que há alguns dias – na virada do ano – estive conversando com o meu antecessor (o ano de 2018) e ele disse que não foi fácil. Disse que foi um ano com muitos feriados, eleições, Copa do Mundo, greves, etc. Foi um ano de crise econômica e resultados ruins para muita gente, o que fez com que muitos de vocês se desmotivassem e esperassem a minha chegada.

Por todos esses motivos que o ano de 2018 saiu de cena cansado. Dava para ver no semblante dele que ele trabalhou bastante. Assim como vocês! 

Mas eu estou aqui, novinho em folha, e prometo que vou ficar até o final deste período com vocês e que vamos fazer muitas coisas boas juntos. E aproveitando que estamos começando os nossos trabalhos, quero fazer algumas perguntas para você:

  • Se você tivesse que escrever uma história, mas tivesse que escrevê-la somente em doze linhas, o que você escreveria?
  • Se você tivesse que escrever um livro, mas tivesse apenas doze páginas para escrevê-lo, o que você incluiria e o que deixaria de fora?
  • Se você tivesse apenas doze segundos para expressar seu ponto de vista ou deixar uma mensagem importante para alguém, o que você falaria?

Pois esse é bem o momento em que nos encontramos agora. Assim como vocês, tenho doze meses pela frente para trabalhar. Por isso que eu me apresento aqui com toda a energia e esperança de que vamos fazer um excelente trabalho. 

A boa notícia é que eu trago um presente para cada um de vocês: um calendário novinho, aguardando pacientemente para que suas folhas sejam viradas. E com a certeza de que cada folha foi importante e que trouxe muitas coisas boas para vocês! Sei que é um presente simples, mas tenho certeza de que vai fazer toda a diferença na vida de quem souber usá-lo com sabedoria.

Percebam que esse presente traz um conjunto de dias, semanas e meses que representarão as maiores oportunidades que cada um de vocês terá para fazer a diferença em suas vidas. E vou logo avisando: não adianta me apressar, pois eu tenho o meu ritmo e esse ritmo serve para dizer que tudo o que vocês têm é o agora, o momento presente. Não vai ser legal se você estiver ansioso para que chegue a última folha do meu calendário quando estamos vivendo apenas a primeira. Esse comportamento vai impedir você de aproveitar o melhor da minha companhia, que eu só posso lhe dar no momento presente, no agora.

Não quer dizer que vocês não devam fazer planos. Muito pelo contrário! Devemos fazer os planos e, principalmente, colocá-los em prática. Só que até nisso o meu presente para vocês vai ajudar, pois o calendário que lhes dou de presente mostra que temos um estoque cheio de dias, semanas e meses para vocês definirem como e quando irão fazer as coisas que desejam.

Vocês também podem aproveitar o melhor de mim porque eu não tenho algumas coisas que o meu antecessor foi obrigado a trazer. Tudo isso para que eu possa lhes ajudar a fazer as coisas que tanto desejam.

Que a nossa convivência seja muito proveitosa e frutífera!!

Assinado: o ano de 2019!

Eu leio esse texto, de dois anos atrás, e vejo o quanto ele faz sentido para começarmos o ano. E para você? Faz sentido?

Que o ano de 2021 seja repleto de saúde, realizações e abundância para todos nós!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.