Por que muitas pessoas dizem que tem dificuldade para dizer não? Cada vez mais tenho me dado conta de que, um dos grandes desafios ligados com liderança e gestão de pessoas, é lidar com a dificuldade de dizer não. Mas, será que temos, de fato, dificuldade para dizer não? Depende do contexto.

Diariamente, recebemos ofertas “tentadoras” para comprarmos tudo quanto é tipo de produto ou serviço. Essas ofertas vêm por e-mail, mensagens, telefone, correio e até pessoalmente – no sinal de trânsito ou na calçada de ruas movimentadas, etc.

Para a maioria de nós é fácil ignorar essas ofertas ou despistar essas solicitações. É fácil dizer não para a maior parte das coisas que são ofertadas ou solicitadas para nós, sobretudo, quando não temos envolvimento emocional com a situação.

E essa é a chave do negócio!

O envolvimento emocional com o que lhe foi pedido ou, principalmente, com o solicitante, faz com que a gente se sinta na obrigação de contribuir com o que está sendo solicitado. Quando isso acontece, o nosso lado racional acaba ficando meio de lado.

Esse lado racional, faz com que a gente analise toda a situação a partir de algumas perguntas básicas: preciso disso que está sendo ofertado? Tenho como contribuir? Caso eu negar, que efeito isso terá sobre mim?

Nosso envolvimento emocional com a pessoa ou situação faz com que nossa capacidade de analisar racionalmente a questão fique prejudicada. Nesse caso, fica difícil encontrarmos argumentos objetivos e lógicos que nos levem a negar determinadas coisas.

Ou ainda, quando encontramos esses argumentos e exercitamos nosso direito de dizer não, acabamos ficando com peso na consciência pelo fato de sentirmos que poderíamos (ou deveríamos) ter ajudado.

Nos envolvemos emocionalmente com o pedido justamente porque acompanhamos os desdobramentos de toda a situação. Ou seja, por estarmos envolvidos, torna-se possível acompanhar os desdobramentos do “não” que a gente dá para determinadas pessoas. Por isso, muitas vezes nos sentimos com a consciência pesada e evitamos essa negativa, para não sofrermos e não vermos outras pessoas sofrendo.

O que pode ser feito?

Prefiro abordar essa questão sempre do ponto de vista das perdas e ganhos. Em alguns casos, a negativa é a melhor resposta que podemos dar para uma pessoa, pode ser a mais adequada. Pois, muitas vezes, essa é a resposta que faz com que a pessoa saia de uma zona de conforto ou encontre alternativas diferentes e mais adequadas para o que está buscando.

Por isso, quando algo nos é solicitado e temos uma imensa vontade de dizer não, mas uma igual tendência a dizer sim, devemos refletir sobre os desdobramentos da nossa resposta. Para nós e para a outra pessoa e, quando o não for a resposta, convém dizer os motivos da nossa negativa. Pois, dessa forma, essa conversa pode resultar numa saída ainda melhor para a situação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.