Os nossos pais são os primeiros líderes que encontramos em nossas vidas. São as pessoas que vão nos dar os primeiros exemplos e orientações. Eles nos darão referências de comportamentos e atitudes que vamos carregar por toda a nossa vida. Comportamentos e atitudes que, de quebra, irão moldar a forma como pensamos, agimos e nos relacionamos.

Embora não seja uma regra universal, geralmente herdamos do pai – da figura masculina da paternidade – exemplos e referências que têm mais a ver com o lado racional do nosso cérebro, enquanto herdamos da mãe exemplos e referências diretamente relacionados com o nosso lado emocional.

Embora ambos manifestem amor, carinho e cuidado, geralmente é no lado emocional e é a partir das nossas mães que aprendemos as lições mais fundamentais para o exercício da liderança nos dias atuais.

Talvez essas lições não sejam passadas de forma consciente, ou seja, é muito provável que ao educar e dar amor às crianças a mãe não esteja focada em dar lições de liderança para seus filhos aplicarem quando forem adultos. Só que esses exemplos permanecem e eu arrisco a dizer que, atualmente, o que aprendemos de nossas mães são as lições que os líderes mais precisam praticar para o crescimento e evolução de si mesmo e das outras pessoas.

Essas afirmações não são científicas, pois se baseiam somente no que eu observo nas empresas. Então eu pensei em compartilhar algumas dessas lições, assim como o impacto positivo que os exemplos maternos podem gerar nas nossas vidas profissionais.

  • Convívio com outras pessoas: as mães nos lembram sempre o quanto é importante “brincar com o amiguinho” da escola e conviver bem com outras crianças. É ali que começamos a enxergar o outro;
  • Responsabilidades: a criança pode até achar que é muito chato ter que guardar os brinquedos ou arrumar a sua própria cama. Mas é ali que começamos a ter a noção de que ao longo da vida teremos responsabilidades que são indelegáveis;
  • Amor: é uma das coisas que mais falta no meio organizacional. Me refiro ao amor “ágape”, o respeito ao próximo que foi falado por James Hunter em seu livro “O Monge e o Executivo”. Tanto é que quando eu me deparo com crises de liderança dentro das empresas, eu costumo perceber que a causa está na falta de amor e respeito nas relações interpessoais;
  • Intenções positivas: costumamos ouvir muito aquela famosa frase: “- Isso é para o teu bem!” As mães sempre terão intenções positivas para com os seus filhos. Significa que se as nossas ações devem também estar impregnadas de intenções positivas, pois isso significa que queremos o bem para a outra pessoa. E o que vai, volta!

As lições são diversas! Mas o que eu mais desejo é que as pessoas revisitem seus relacionamentos familiares e as lições que foram aprendidas durante a sua infância, para agradecer e retribuir todo amor e carinho dedicados pelas mães aos seus filhos.

Feliz dia das Mães!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.